Últimas públicações

WinterShow chega a 16ª edição e o potencial da produção de trigo é o assunto de destaque




As modernas máquinas agrícolas proporcionam facilidade no campo
Imagem: Kleber Fernandes
Ouça a matéria


O evento reuniu centenas de pessoas e apresentou inovações voltadas ao mercado agrícola

Kleber Fernandes

Entre os dias 15 e 17 de outubro, a FAPA (Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária), realizou na Colônia Vitória, em Entre Rios, a edição 2019 do WinterShow, excelência em cereais de inverno. O evento é considerado o maior do país no segmento, e reúne pesquisadores, produtores, estudantes e expositores.

“O WinterShow chegou a 19ª edição, é um ano que estamos adaptando as necessidades dos nossos cooperados, de novas tecnologias e tendências de mercado, como é o caso do digital. Apresentando equipamentos mais modernos, automação de equipamentos, até da parte mais prática de gestão de propriedades”, explica o Coordenador da FAPA, Marcio Mourão.

Nesta edição, a programação foi voltada as inovações tecnológicas, ao futuro do agronegócio, a produção de trigo, estação da cevada, fertilidade do solo e herbologia e estação entomologia e fitopalogia.

O WinterShow recebe anualmente empresas referências
no mercado de sementes, defensivos e maquinários
Imagem: Kleber Fernandes 



“Hoje o agronegócio precisa de dados, de informações para fazer a melhor gestão da propriedade, tanto na questão de custo, como na questão de uso de defensivos químicos e insumos, e com isso tentar manter a rentabilidade que é o grande desafio na agricultura moderna”, completa Mourão.

De acordo com o presidente da Agrária Jorge Karl, o WinterShow é necessário para apresentar os trabalhos da FAPA. “Ao mesmo tempo, para nós, estudar os cereais de inverno é importante, pois parte de nossas indústrias estão baseadas na matéria prima cevada e trigo. A gente sempre destaca a rotação de cultura e o bom manejo tecnológico destas culturas”.

Além das pesquisas e inovações desenvolvidas pela FAPA, o WinterShow  abre espaços para instituições parceiras, uma delas é o IAPAR - Instituto Agronômico do Paraná. “Na edição deste ano, a gente traz alguns cultivares de trigo e triticale, para mostrar aos produtores e conversar um pouco sobre as opções de cultivo de inverno”, conta o pesquisador do instituto, Paulo Zacheo.   

Os pesquisadores acompanham todo o crescimento da planta,
para desenvolver soluções para possíveis doenças, quando encontradas
Imagem: Kleber Fernandes

Outra instituição de pesquisa, que é parceira da FAPA, em várias edições é a Embrapa - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, e todo ano, aproveitam o WinterShow, para apresentar novidades relacionadas ao agronegócio. “Este ano a gente está trazendo a cultivar BRS Atobá, que é uma cultivar de ampla adaptação, é um trigo melhorador, tem boa sanidade e é um trigo rápido, agronomicamente testado em todas as regiões do Paraná”, conta o pesquisador Luís César Tavares.

Além das instituições de pesquisas, empresas relacionadas ao agronegócio expõe os seus produtos no evento, como é o caso do consultor de negócios, Rames Pedro Soares Machado. Além de apresentar as inovações, o objetivo é fechar bons negócios. “ Com certeza, a expectativa é grande”, comenta.

Além de todo conhecimento técnico, o WinterShow proporciona uma apresentação, o Desafio de Máquinas, que atrai visitantes para o evento
Imagem: Kleber Fernandes



“O WinterShow é um evento de suma importância, a gente tem a oportunidade de conhecer novas tecnologias, trocar ideias, de experiências, conversar com pesquisadores, com o pessoal das empresas. Então é uma forma que a gente tem de estar se atualizando, em relação a tudo que a gente vem trabalhando no dia a dia”, conta o cooperado Osmar Karly.

As grande máquinas que representam milhões de investimentos,
 se tornam pequenas na proporção de terras cultivadas em Entre Rios
Imagem: Kleber Fernandes


Para o estudante do terceiro ano do ensino médio, Juan Carlos Machado, o espaço proporciona aprendizado, no caso dele que é de família de agricultores, o WinterShow incentive a seguir na área, e principalmente estudar agronomia, e futuramente voltar como profissional. “Quem sabe um dia estar aqui apresentando, ou até mesmo fazendo palestras sobre agronomia e a produção no campo”.

Assista a matéria em vídeo: