Últimas públicações

Inácio Martins 59 anos: Conheça a história de nossa cidade

Portal de acesso ao município, vindo de Irati
Imagem: Kleber Fernandes
O município mais alto do Paraná, comemora hoje, segunda-feira (25), 59 anos de criação. Conheça a história da cidade e suas características, as informações estão disponíveis no site da prefeitura, e foram pesquisadas pelo historiador Diomedes Taborda
Inácio Martins, está localizado no terceiro planalto, na Serra da Esperança, com 1.198 metros de altitude acima do nível do mar, sendo o município mais alto do Paraná.
Sede do Poder Executivo Municipal
Imagem: Kleber Fernandes

No início de sua colonização, o antigo distrito de Guarapuava recebeu o nome de Guarapuavinha. O nome “Ignácio Martins”, dado a Guarapuavinha, homenageia o Engenheiro que coordenou os trabalhos de construção de ferrovia na região. A denominação “Ignácio Martins” foi alterada para Inácio Martins por decisão da Assembléia Legislativa do Paraná, em acolhimento a proposição do Deputado Antônio Lustosa, representante do distrito. 
Sede do Poder Legislativo Municipal
Imagem: Kleber Fernandes
A ocupação da região de Inácio Martins coincidiu com a chegada de imigrantes europeus ao Brasil, vindos principalmente da Itália, Alemanha e Portugal. Os primeiros moradores brancos do município foram as famílias Stresser, Scheleder, Martins de Campos e Orives. Com a chegada da estrada de ferro, Inácio Martins tornou-se fornecedor de lenha para abastecimento das locomotivas a vapor conhecidas como “Maria Fumaça”. O município era ponto de suprimento de lenha e água. Até os dias atuais existe caixa d’água com capacidade de oito mil litros, construída em concreto, próximo à linha férrea.
Sede do Destacamento de Polícia Militar
Imagem: Kleber Fernandes

Em 25 de julho de 1960, a Lei Estadual nº 4245 criou o município de Inácio Martins, que teve sua instalação oficializada somente em 25 de novembro de 1961.  Foi nomeado prefeito o Sr. Valdomiro Ferreira Caldas, vereador do município de Guarapuava, que ocupou o cargo por aproximadamente sete meses até que assumisse o prefeito eleito.  Com a desativação dos trens de passageiros, a linha férrea é atualmente utilizada apenas para o transporte de carga, especialmente madeira de pinus, cereais e combustíveis.
Ponto Turístico de Inácio Martins
Imagem: Kleber Fernandes

Histórico

No início de sua colonização, o antigo distrito de Guarapuava recebeu o nome de Guarapuavinha. O nome “Ignácio Martins”, dado a Guarapuavinha, homenageia o Engenheiro que coordenou os trabalhos de construção de ferrovia na região. A estação ferroviária situada na sede do município leva também este nome, que, posteriormente, foi atribuído ainda à Agencia de Rendas e ao Cartório. A denominação “Ignácio Martins” foi alterada para Inácio Martins por decisão da Assembléia Legislativa do Paraná, em acolhimento a proposição do Deputado Antônio Lustosa, representante do distrito. A solicitação por escrito foi levada a Curitiba por Indalécio Pereira, antigo morador da comunidade dos Papagaios, que fez a viagem até a Capital em lombo de animais. O povoado costumava também ser designado 66, em clara alusão ao quilômetro de sua localização relativamente à ferrovia.
Maria Fumaça
Imagem: Reprodução Internet 
Em 25 de julho de 1960, a Lei Estadual nº 4245 criou o município de Inácio Martins, que teve sua instalação oficializada somente em 25 de novembro de 1961.  Foi nomeado prefeito o Sr. Valdomiro Ferreira Caldas, vereador do município de Guarapuava, que ocupou o cargo por aproximadamente sete meses até que assumisse o prefeito eleito. Nas primeiras eleições, concorreu como candidato único e foi eleito Prefeito do Município o Senhor Aragão de Mattos Leão, da UDN – União Democrática Nacional, que assumiu o cargo no dia 25 de novembro de 1961. Os primeiros vereadores do novo município foram: Francisco Ferrreira da Silva, Antonio Piakosk, Arcílio Massuqueto, Joaquim Luís de Andrade, João Pedroso de Oliveira Filho, Eduardo Horst, Azize M. Hauage, Antonio Aleixo Thomas, Cipriano de Maceno, Vitor Horny e Zacarias Moreira. A ocupação da região de Inácio Martins coincidiu com a chegada de imigrantes europeus ao Brasil, vindos principalmente da Itália, Alemanha e Portugal.
Igreja Matriz
Imagem: Reprodução Internet 

Em 1901, segundo estimativas, a população brasileira superava os 17 milhões de habitantes. Desses brasileiros, 64% viviam no campo e deles fazia parte a maioria dos mais de 800 mil imigrantes europeus que ingressaram no país só nas três últimas décadas do século XIX. Cerca de 580 mil haviam chegado do Sul da Itália para as regiões Centro e Sul do Brasil. A saga de corajosos desbravadores, que fez confluir pioneiros de outras regiões do Estado do Paraná e imigrantes de outros Estados e países, é responsável pela fundação de tantas comunidades, como a de Inácio Martins, que na época do início de sua colonização pertencia ao Município de Guarapuava e era habitada por indígenas, cuja presença remanesce em Reserva Indígena existente no Município. Apesar de todos os perigos e dificuldades, algumas famílias se dispuseram a habitar a região, cuja colonização teve início por volta de 1890, com a chegada de imigrantes, que receberam terras e se propuseram a explorá-las e delas tirar seu sustento. Os primeiros colonos eram de origem polonesa, inglesa, alemã e italiana e se ocuparam principalmente da extração da madeira e da erva-mate, dando origem a serrarias e à construção de inúmeros povoados.
Antiga Prefeitura Municipal
Imagem: Reprodução Internet 

A colonização extrativista favoreceu a distribuição das terras da região em grandes latifúndios, onde a maior parte dos proprietários era constituída por donos de serrarias, tinham como único e exclusivo objetivo explorar as terras para a extração da madeira abundante, especialmente imbuia e araucária. Os primeiros moradores brancos do município foram as famílias Stresser, Scheleder, Martins de Campos e Orives. As famílias Stresser e Scheleder eram de origem inglesa e alemã, respectivamente, e haviam imigrado para o Brasil em 1860, fixando-se em Cerro Azul e Curitiba. Em 1875, receberam do Imperador Dom Pedro II uma gleba de terras no município de Guarapuava. O local escolhido foi denominado Boa Vista. Essas terras correspondiam ao atual trecho de São Miguel até Itapará, na Serra da Esperança, numa extensão de cerca de 30 km.
Alunos em frente ao prédio do atual Colégio Parigot de Souza
Imagem: Reprodução Internet 

O local onde os pioneiros fixaram suas residências em 1892 passou a chamar-se Guarapuavinha. Ali construíram casas, armazéns, cemitério... Por serem essas famílias de religião luterana e espírita, não houve inicialmente igreja católica no local. Mais tarde foi construída, no atual Rio Pequeno, a Capela do Divino Espírito Santo, onde o Pe. João Ponkgeba rezou a primeira missa. Com a chegada da estrada de ferro, Inácio Martins tornou-se fornecedor de lenha para abastecimento das locomotivas a vapor conhecidas como “Maria Fumaça”. O município era ponto de suprimento de lenha e água. Até os dias atuais existe caixa d’água com capacidade de oito mil litros, construída em concreto, próximo à linha férrea.
Maria Fumaça
Imagem: Reprodução Internet 

No início da década de 1940, com a paralisação temporária da construção da estrada de ferro, Inácio Martins, então ainda Guarapuavinha, tornou-se ponto de embarque e desembarque de bovinos e suínos, vindos principalmente de Laranjeiras do Sul, Pitanga e Guarapuava, e de desembarque de tropas do Exército que se deslocavam para outras regiões. Durante a construção de Brasília, saiu de Inácio Martins grande quantidade de madeira, principalmente “pontaletes” de pinheiro e imbuia, destacando-se como fornecedores Edgard Gomes, Slavieiro S.A., Zattar e Dellegrave Moreira. Com a desativação dos trens de passageiros, a linha férrea é atualmente utilizada apenas para o transporte de carga, especialmente madeira de pinus, cereais e combustíveis.
Estatísticas
Clima
O clima do município é subtropial úmido, mesotérmico com ventos frescos, geadas freqüentes e severas, sem estações seca. A temperatura pode chegar abaixo de zero, como é freqüente com geadas severas.
Principais Rios
Rio D”areia, Rio Potinga, Rio Geronimo, Rio Turvo, Rio Claro, Rio Azul, Rio Boa Vista, Rio das Garrafas.
Meios de transporte
Rodoviário, ônibus, caminhão, automóvel e carroça.
Ferroviário: trem de carga.
Serviços de utilidade pública
Prefeitura Municipal, Promoção Social, Secretária de Educação, Secretaria de Agricultura, Secretaria de Meio Ambiente, Secretaria de Saúde, Pronto Atendimento, Secretaria de Obras, Transporte e Urbanismo, Policia Militar e Civil, Correio, Banco do Brasil, Banco Itaú, Casa Lar, Escolas Rurais e Municipais.
Entidades recreativas
Campo de futebol, Praça Municipal, Ginásio de esportes, C.T.G (Centro de Tradições Gaúchas), ASMIM (Associação dos Servidores Municipais de Inácio Martins).
Costumes e Tradições
No município de Inácio Martins predomina o caboclo brasileiro. Há algumas famílias de descendência polonesa, alemã e italiana. As maiores manifestações tradicionalistas do município são gauchescas (música, traje, chimarrão, etc.) da época dos tropeiros. Também é bastante significativo os dias Santos de Guarda. No interior e na sede são feitas grandes sedes para comemorado dia do padroeiro ou padroeira da igreja (capela). As manifestações culturais e a solidariedade do povo se expressam através de romarias, fandangos, festas e festivais. A hospitalidade por parte do povo residente no interior do município, é fator marcante entre eles e os forasteiros.
Reserva Indígena
O município de Inácio Martins conta com uma Reserva Indígena que leva o nome de Rio D”areia, localizada a 40Km (quarenta), pertencentes aos grupos KAIGANGS e GUARANIS, existentes no local desde o inicio da colonização, conforme informações do funcionário da FUNAI Sr. Pedro Nércio Alves Teixeira.
Serra da Esperança
Serro do Leão
Imagem: Kleber Fernandes

Vem a ser uma denominação regional da Serra Geral ou Escarpa Mesozóica, que constitui a divisão entre o Segundo Planalto (sedimentar) e o Terceiro Planalto (basáltico) no Estado do Paraná. A Área de Proteção Ambiental (APA) da Serra da Esperança, foi criada através da Lei Estadual nº 9.905, de 27 de janeiro de 1992. A Área de Proteção Ambiental (APA) da Serra da Esperança ocupa uma área de 206.555,82, foi criada para proteger os remanescentes mais contínuos de Floresta com Araucária localizados no Estado do Paraná. Abrange 10 municípios da região centro-sul do estado: Guarapuava, Prudentópolis, Inácio Martins, Mallet, Rio Azul, Cruz Machado, Irati, Paula Freitas, Paulo Frontim e União da Vitória. Está localizada na Serra da Esperança, que é o divisor natural entre o segundo e o terceiro planaltos parananenses.
Centro da cidade de Inácio Martins
Imagem: Ismael Cesar

População estimada - 2016: 11.319
Área da unidade territorial 2015 (km2): 936,208
Densidade demográfica 2010 (hab/km2): 11,69
Gentílico: martinense 
Localização
Inácio Martins está localizado no 3º planalto paranaense, na Serra da Esperança, a 25º 34’ 16” latitude sul e 51º 13’ 00” longitude oeste. A altitude é de 1.198 metros, sendo a sede de município mais alta do Paraná. Possui área de 936,59 km2, dos quais 932,41 km2 em área rural e 4,18 km2 em área urbana. Distância da capital 205 km. Limita-se a norte com Prudentópolis e Irati; a sul com Cruz Machado; a leste com Rio Azul e Mallet; e a oeste com Guarapuava e Pinhão.
Praça Municipal
Imagem: Ismael Cesar

Texto: Reprodução Site Oficial Prefeitura de Inácio Martins.